segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

2013


Happy   2013   Feliz
prolongando os desejos  -  concretizando os sonhos  -  dando voz às palavras


quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

é a vida...

viagens

hoje dentro de mim
aqui
corda esticada
a vida !...
nas mãos as pontas
do amanhã os
(a)braços

pessoal instante

a palavra é assim o poema
mais além
venha de onde vier o tempo
desse instante
íntimo

na montanha

um oásis de solidão
deserta
onde o futuro é cada vez mais
curto o presente
doado grão a grão

novembro

um setembro doce e depois
novembro calmo amargo
quase parado

tenso e quente balanço
de incertezas expectantes
sem receitas
sem registos
sem milagres.

dezembro

só. esperança. sós
é inverno
todos os anos
e meses

domingo, 23 de dezembro de 2012

e se amanhã...

e se amanhã
na rua dos desejos
alguém me contasse
uma história...

e se essa história
na rua dos sonhos
também me falasse
de um segredo...

e se em segredo
eu revisitasse
a rua dos meninos
que sonham...

talvez eu escrevesse
a história que era um sonho
fruto de um desejo
de menino

sábado, 22 de dezembro de 2012

pedaços de natal 3


 nos rios das memórias da infância
a idade das neves das águas dos bosques

Arte de Ivone Martins

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

sábado, 15 de dezembro de 2012

Natal Português


 
Natal branco e vermelho
vermelhinho de belém
não há como fugir ao tom;

até na Ferry o sino
que à noite rasga o sereno
azul, não altera o som.

Natal amarelo,
laços a verde e vermelho
e um bombom!
Parece Portugal!

Que bom!

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

pedaços de natal

 

em cada canto um pedaço de um sorriso que ilumina
 em cada pedaço o encanto da arte de ser menino
 
Arte de Ivone Martins

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

domingo, 9 de dezembro de 2012

se uma palavra se perde



se uma palavra se perde
no caminho entre pedras
na boca a linguarejar
na branca folha ou no ar

e se ela vai para o mar
dos ouvidos surdos moucos
quantas não serão as percas
que vamos sentindo aos poucos

os muitos que não escutam
porque não querem ouvir
perdem mais de tanto rir
dos outros que chamam loucos

já me perdi nas palavras
que nascem em cada canto
de uns lábios cheios de encanto
ou das mãos que a terra lavram

nas esperança de que cresçam
palavras nesse outro campo
de tantas que eu recolho
nas linhas deste meu canto
 

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

pedaços de natal

  
pedaços de natal  
de árvores de luz
de branco e de azuis
de neves e festas
 



terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Os sons da arte e do silêncio - 27


















quando os sinos tocam no silêncio escuto os sons a arte e as mãos

(Eduardo Martins - 8 de Setembro de 2012 - Igreja Matriz de S. Pedro, Manteigas)